Obras

Avi, 1989MadeiraTrês esculturas: 9'9" × 12" × 12"; 10' 8"x 10" × 17"; 10'3" × 11" × 17"

São personagens, personificações, “Demônios” internos do homem (1), descendentes diretos de deuses personificados, de monólitos, dólmens, monoblocos — abstratos e animistas ao mesmo tempo; signos externos contemporâneos de um inconsciente interno de milhões de anos. Representações de três dos muitos símbolos, das características internas do homem: o primeiro da capacidade de abstrair, transcender; o do meio (descendente de Pan, o diabo) da irracionalidade, do sol e do pânico inesperado; a terceira busca do homem por coerência, suas “justificações”, racionalizações: é um soldado da religião, um “bispo”, atingido, porém, por um kaceratuib wgucg prejudica essa coerência. É também o tema da divisão, como a tensão positiva da tendência à unidade (2), e como o conhecimento da impossibilidade de obter tal coerência e unicidade monoteístas (3.)

(1) No sentido grego, uma entidade que inesperadamente o possui e guia suas ações além de sua compreensão e vontade.
(2) Também do interno com o externo.
(3) São as religiões monoteístas que tendem a essa coerência, que esmagam todos os aspectos, os “demônios”, em si mesmo, ….são as religiões politeístas que deixaram e deixam espaço para todas as facetas do ser humano.

Exibição

7 de maio de 1989 - 11 de março de 1990 Cidade das Esculturas