Fotografia de 1971 da Maquete PN15

Contato com a mídia

Joyce Chan
Gerente de Comunicações
jc@socratessculpturepark.org

Baixar Comunicado de Imprensa–>

Baixe o kit de imprensa–>

Parque de Esculturas Sócrates apresenta proposta não realizada de Hélio Oiticica em 1971 Projetos Subterrâneos da Tropicália: PN15 1971/2022, em exibição de 14 de maio a 14 de agosto de 2022

Um ambiente imersivo de luz e sombra, o projeto explora ideias do underground e oferece uma plataforma para a participação do público

'Maquete para Projetos Subterrâneos da Tropicália: PN15 Penetrável,' 1971. Malha de nylon e papelão. Fotógrafo Miguel Rio Branco, © César e Claudio Oiticica

Long Island City, NY, 11 de maio de 2022 – Pela primeira vez nos Estados Unidos, o Socrates Sculpture Park, em colaboração com o Projeto Hélio Oiticica e a Americas Society, dá vida a uma ideia originalmente concebida pelo falecido artista brasileiro Hélio Oiticica em Projetos Subterrâneos da Tropicália: PN15, 2017/2022. Este ambiente imersivo em grande escala é baseado na proposta nunca antes executada de Oiticica de 1971 para o Central Park que ele concebeu enquanto morava em Nova York. Os programas de apresentação e parceria são construídos com base na colaboração de longa data do Socrates Sculpture Park e no apoio a artistas que expandem os limites de sua prática em espaços públicos não tradicionais.

O ambiente imersivo de PN15 inspira-se na próspera cultura subterrânea da cidade, incentivando os visitantes a percorrer a estrutura circular de corredores curvos para uma experiência multissensorial. A instalação apresenta plantas e projeções de imagens que criam um jogo de luz, sombra, mudanças de opacidade, enquadramento e orientação. PN15 será um espaço de criatividade e lazer coletivo, apelidado de “crelazer” pelo artista.

“Estamos emocionados que o Parque de Esculturas Sócrates tenha tomado a iniciativa de realizar a obra de Hélio Oiticica PN15 pela primeira vez," disseram irmãos do artista, César e Claudio Oiticica. “Hélio sabia que a obra não poderia ser realizada em vida, então deixou copiosas notas e uma maquete. Parece apropriado que o projeto tenha sua primeira iteração física na cidade em que foi concebido. O espírito de colaboração sempre foi importante para Hélio, por isso estamos animados que esse trabalho participativo seja ativado por meio de filmes e outros artistas durante a exposição.”

Hélio Oiticica (1937 – 1980) é amplamente considerado como um dos principais artistas brasileiros do século XX e um marco para muita arte contemporânea feita desde os anos 1960, principalmente por meio de suas obras de arte participativas e livres, ambientes performativos, filmes de vanguarda e pinturas abstratas. Antes mesmo dos 20 anos, Oiticica foi um dos principais integrantes do histórico Grupo Frente (1954-56), sediado no Rio de Janeiro, seu jogo radical com formas geométricas e cores vibrantes transcendendo as linhas mínimas do construtivismo europeu e imbuindo sua obra de uma ritmo exuberante que ressoava com a música e a poesia de vanguarda de seu Brasil natal. No final da década de 1950, Oiticica se tornaria uma figura de destaque do neoconcretismo brasileiro (1959-61) que incluiu outros artistas pioneiros como Lygia Clark, Lygia Pape e o poeta Ferreira Gullar, dando origem ao movimento artístico conhecido como Tropicalismo, batizado em homenagem a uma obra de Oiticica de 1967.

“Oiticica foi um pioneiro e continua sendo um dos artistas contemporâneos mais prolíficos de seu tempo. Suas ideias deram lugar a um novo movimento social e político, enraizado na expressão artística revolucionária. Oiticica impulsionou o público a reconhecer as realidades da vida no Brasil dos anos 1960 e a relação dos imigrantes sul-americanos com sua experiência na América”. disse Tamsin Dillon, que ingressou na Sócrates como Diretor Executivo em fevereiro. “Cinquenta e um anos depois que Oiticica viveu e trabalhou no Lower East Side de Nova York, o público finalmente experimentará sua visão para o Central Park trazida à vida aqui no Sócrates.”

“Apresentar um projeto não realizado da série subterrânea de Oiticica enriquece o programa curatorial de Sócrates de várias maneiras” disse Jess Wilcox, curadora e diretora de exposições do parque desde 2016. "PN15 sonda e defende ideias de marginalidade, envolve o público e grupos da comunidade local, fornece uma plataforma para outros artistas mostrarem seu trabalho e nos permite fazer o que fazemos de melhor – produzir o que outros disseram ser muito desafiador.”

Sócrates apresenta uma série de performances programadas, discussões e projeções de vídeo de parceiros da comunidade e artistas vivos para ativar a instalação, como Oiticica sempre pretendeu, trazendo uma nova moeda para a visão do artista. O programa de projeção de vídeo, que é parcialmente co-curadoria pela Americas Society, apresenta vídeos históricos e recentes do artista, seus contemporâneos latinos e queer e artistas que trabalham em uma das muitas trajetórias de seu legado. As projeções incluem obras de Regina Vater, Rubens Gerchman, Leandro Katz e Andreas Valentim.

'Creleisure Talk: O que está escondido no subterrâneo?' um painel no sábado, 18 de junhoth, com Vivian Crockett, curadora, New Museum; Laura Harris, Professora Assistente de Estudos Cinematográficos e Arte e Políticas Públicas, Universidade de Nova York; Aimé Iglesias-Lukin, diretor e curador-chefe da Americas Society; e Jess Wilcox, Curadora e Diretora de Exposições do Socrates Sculpture Park discutirão suas reações à realização do PN15, que antes só era conhecido por meio de pesquisa de arquivo.

Ao longo da exposição, artistas brasileiros e queer ativarão a instalação como palco para performances interativas e oficinas. A série começa com uma performance do artista multidisciplinar MX Oops na sexta-feira, 20 de maioth das 5h às 7h, além de programas com La Luna e Bell Falleiros. Durante a série mensal de verão New Agora de Sócrates, os parceiros da comunidade Parks - incluindo Fortune Society e Jazz Foundation of America, entre outros - ativarão PN15, ecoando o engajamento de Oiticica com o público.

O projeto é apresentado em conjunto com a exposição Este deve ser o lugar: Artistas da América Latina em Nova York, 1965-1975 em exibição na Americas Society até 21 de maio de 2022.

Hélio Oiticica Projetos Subterrâneos da Tropicália: PN15 1971/2022 está em exibição de 14 de maio a 14 de agosto de 2022. O horário de exibição é sexta-feira, das 5h às 00h7, sábado, das 30h às 11h, domingo, das 5h às 11h. O Parque de Esculturas de Sócrates está aberto 5 dias por ano, das 365h ao pôr do sol. A entrada é gratuita.

Para detalhes completos e a programação do programa, visite www.socratessculpturepark.com/pn15-1971-2022

SOBRE O ARTISTA

Hélio Oiticica (1937 – 1980) é amplamente considerado como um dos principais artistas brasileiros do século XX e um marco para muita arte contemporânea feita desde os anos 1960, principalmente por meio de suas obras de arte participativas e livres, ambientes performativos, filmes de vanguarda e pinturas abstratas. Ele era uma figura contracultural e herói underground, colocando em primeiro plano a interação corporal com as preocupações espaciais e ambientais sobre a estética pura. Ele foi um membro-chave do histórico Grupo Frente (1954-56) sediado no Rio de Janeiro e uma das principais figuras do neoconcretismo brasileiro (1959-61) que acabou por dar origem ao movimento artístico conhecido como Tropicalismo, nomeado por uma obra de Oiticica de 1967. O trabalho de Oiticica tem sido objeto de exposições em vários museus importantes, incluindo o Carnegie Museum of Art (Pittsburgh), o Art Institute of Chicago, o Whitney Museum of American Art (Nova York), The Museum of Fine Arts Houston , e Tate Modern (Londres). Seu trabalho está incluído nas coleções de várias instituições internacionais, incluindo Carnegie Museum of Art, Pittsburgh, PA, EUA; Inhotim Centro de Arte Contemporânea, Belo Horizonte, Brasil; Museu de Arte do Condado de Los Angeles, Los Angeles, CA, EUA; Museo de Arte Reina Sofia, Madrid, Espanha; Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil; Museu de Belas Artes, Houston, TX, EUA; Museu de Arte Moderna, Nova York, NY, EUA; Tate Modern, Londres, Reino Unido; e Walker Art Center, Minneapolis, MN, EUA, entre outros. O Projeto Hélio Oiticica foi criado no Rio de Janeiro em 1980 para administrar o espólio do artista.

Biografia do artista e imagens disponíveis para download SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.

SUPPORT

Projetos Subterrâneos da Tropicália: PN15 1971/2022 é apresentado em conjunto com a exposição Este deve ser o lugar: Artistas da América Latina em Nova York, 1965-1971 em exibição na Americas Society até 21 de maio de 2022. O maior apoio para o projeto vem do Espólio de Hélio Oiticica e da Galeria Lisson, com apoio adicional de Claudio Oiticica e Diane Lynn DeBogory, Câmara de Comércio Brasil-Americana, Consulado-Geral do Brasil em Nova York, The Garcia Family Foundation, The Diane & Bruce Halle Foundation, The Ortiz Family, Safra National Bank of New York, Ana Sokoloff e Clarice O. Tavares.

A programação artística, cultural e social gratuita no Socrates Sculpture Park é possibilitada pelo apoio de Agnes Gund, Bloomberg Philanthropies, Charina Endowment Fund, Con Edison, The Cowles Charitable Trust, The Devra Freelander Artist Fund, Deutsche Bank, The Jerome Foundation, Joel Shapiro & Ellen Phelan, Lambent Foundation, Mark di Suvero, Maxine & Stuart Frankel Foundation, Mertz Gilmore Foundation, New York Community Trust Van Lier Fellowships, The Pierre & Tana Matisse Foundation, The Pinkerton Foundation, Robert F. Goldrich & the Leon Levy Foundation , Fundação Sidney E. Frank, Spacetime CC, Fundação Thomas & Jeanne Elmezzi e nosso generoso Conselho de Administração.

Os programas Sócrates também são apoiados por fundos públicos do Presidente do Município de Queens, Donovan Richards; o Departamento de Assuntos Culturais de Nova York, em parceria com o Conselho da Cidade de Nova York e Julie Won; o Conselho de Artes do Estado de Nova York com o apoio do Gabinete do Governador e do Legislativo do Estado de Nova York; e o Fundo Nacional para as Artes.

SOBRE SÓCRATES

Por mais de 35 anos, o Socrates Sculpture Park tem sido um modelo de produção de arte pública, ativismo comunitário e criação de lugares socialmente inspirados. Mais de 1,000 artistas criaram e exibiram novos trabalhos em seus cinco acres à beira-mar e instalações de estúdio ao ar livre. O Sócrates é gratuito e aberto ao público 365 dias por ano, das 9h ao pôr do sol. Ele está localizado na 32-01 Vernon Boulevard (na Broadway) em Long Island City, Nova York. O Socrates Sculpture Park é uma organização sem fins lucrativos licenciada pela NYC Parks para gerenciar e programar o Socrates Sculpture Park, um parque público da cidade de Nova York. Atualizações Covid-19: O Sócrates permanece aberto ao público em horário normal, das 9h ao pôr do sol, com entrada gratuita. As políticas do parque e atualizações sobre saúde e segurança podem ser encontradas em socratessculpturepark.org/Covid19.

SOCIAL

FB /SocratesSculpturePark | IG @SocratesPark | Twitter @SocratesPark | #PN15EmSócrates